BLOG DESTINADO A TREINADORES, JOGADORES, ARBITROS E DEMAIS AGENTES DESPORTIVOS LIGADOS AO HOQUEI EM PATINS. ESTE ESPAÇO TEM POR OBJECTIVO APRESENTAR E DISCUTIR TODOS OS ASSUNTOS LIGADOS Á MODALIDADE.O MEU E-MAIL É hoqueihoquei@sapo.pt

20
Nov 06
CAROS COLEGAS TENHO UM LIVRO SOBRE NOÇÕES DO HOQUEI EM PATINS DATADO DE 62/63, DE GULHERMINO RODRIGUES, TRANSCREVO AQUI UMA PARTE DO 2º CAPITULO, GOSTAVA QUE LESSEM E QUE DESSEM A VOSSA OPINIÃO JÁ AGORA SERÁ QUE ENCONTRAM AQUI ALGUM PARALELISMO COM OS NOSSOS DIAS? SERÁ QUE EVOLIUMOS ASSIM TANTO?, VENHAM DAI ESSES COMENTÁRIOS. - " TREINO INDIVIDUAL -Se para praticar qualquer modalidade são necessários requisitos próprios, o hoquei em patins, pela diversidade dos meios utilizados, requer um total somatório de predicados que não são exagero afirmar que não houve - nem possivelmente haverá - um jogador que mereça o titulo de perfeito. Dessas qualidades, dificil se torna destacar uma que possa considerar-se a mais importante, não só porque o valor atribuido é muito mais teórico que real, porque também  aquilo que é tido como defeito pode, nalguns casos, constituir uma virtude: Assim temos como atributos essenciais: a) patinagem, b) dominio de bola, c) rapidez de reflexos, d) facilidade de remate ou intercepção, e) poder de improviso. Como é evidente, muitos outros pormenores podem e devem fazer parte da bagagem técnica de um jogador, mas todos eles estão, de uma maneira ou de outra, incluidos ou intimamente ligados ás condições base. As alineas a) e b), por exemplo, não podem dissociar-se, já que não se concebe que um praticante seja um bom patinador e mau dominador de bola e vice-versa, ou tenha uma e outra qualidades e seja incapaz de executar um lance á margem do campo teórico. Por todas estas razões, o candidato a jogador de hoquei em patins deverá seguir pacificamente um programa préviamente estabelecido de treinos divididos por fases. Os saltos bruscos no periodo de iniciação, contribuem, na maior parte des vezes, para que o futuro jogador descure uns quantos pormenores que, mais tarde, tornarão impossivél a sua projecção como elemento acima da média. Bom será, portanto, que os primeiros passos sejam orientados no sentido de apurar: 1º- O completo dominio dos patins, 2º- A facilidade do manejo do aléu, 3º- A coodernação patinagem-bola, 4º- A execução de pormenores técnicos (paragem e condução de bola, dribles e simulações, jogadas de toque fantasia, etc). 5º- O conhecimento da missão especifica de cada lugar na equipa. 6º- O estudo das regras. 7º- a análise dos processos tacticos. Isto seria, como dissemos, o trilho ideal para conduzir um debutante até ao maior grau possivel de aproveitamento, o que não é, evidentemente, um processo infalivél para transformar o desajeitado num jogador notável. Regra geral, como em todas as actividades, nasce-se hoquista e o que mais se consegue é aprimorar as qualidades existentes." - ESTE TEXTO É DE 1962, EU POR EXº AINDA NÃO ERA NASCIDO. BOM ,CÁ FICO Á VOSSA ESPERA
publicado por tecnico-tactica-hoquei às 17:33

De facto, não conheço o autor do livro, mas uma coisa é certa, Portugal, se dominou o Hóquei Mundial durante alguns anos, não deve ter sido por acaso.
Provavelmente, nesse tempo, estariamos mais avançados que os outros países.
Hoje em dia, não somos nós que dominamos o Hóquei Mundial, mas estamos sempre lá.
Leva-me a pensar uma coisa: Será que os outros países, nomeadamente a Espanha, evoluíram mais que nós, enquanto nós ficámos estagnados?
Não quero crer, mas o texto que lí, enquadrado no tempo e na específicidade do Hóquei em Patins praticado hoje em dia e na altura (62/63), é uma verdade quase que absoluta, mas faltam, quanto a mim, dois aspectos fundamentais hoje em dia: o físico e o psicológico. São duas competências que sem as quais, um jogador "mirabolante" pode passar completamente ao lado. Se pensarmos bem existem vários exemplos nos ringues de hoje em dia...
Não querendo faltar ao respeito a ninguém, muito pelo contrário, penso que António Livramento, que acenta como uma luva no texto supracitado, hoje em dia, não alcançaria a notariedade que alcançou naquela época, a menos que se complementasse com as duas competências por mim referidas.
Cravo a 21 de Novembro de 2006 às 00:40

O que me parece, é que hoje em dia, na maior parte dos casos, há étapas que aqui são faladas, que são esquecidas.

Para não perder os miúdos que vêm ao Hóquei, na maior parte dos casos, dá-se rapidamente um stick, para que ele possa jogar hóquei.

Depois falta a base...

Um abraço.
Pedro Antunes a 21 de Novembro de 2006 às 10:51

Novembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
14
15
16
18

19
21
24

26
27
28
29
30


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO